Advocacy e Pesquisa

Boletim Estados ITC2.0 #6: País não conhece extensão da Covid-19 em unidades prisionais

07 out de 2020, por OKBR

Compartilhar

Análise inédita sobre o tema revela que 75% dos entes não detalham casos por unidade, e mais de 95% não informam dados básicos como sexo e faixa etária das vítimas entre a população privada de liberdade

Quase um terço dos estados (32%) ainda não publica qualquer informação sobre o contágio de Covid-19 na população privada de liberdade; no início da avaliação, em julho, mais da metade (54%) não cumpria o quesito. 

Em 11 entes (39%), não há informação sobre quantidade de óbitos nas unidades prisionais;

79% não informam quantidade de testes aplicados no universo da população privada de liberdade;   

Na sexta rodada de avaliação do Índice de Transparência da Covid-19 (2.0) nos estados e governo federal, todos os entes estão acima do nível “Bom”; mas quantidade de microdados publicados sofreu queda de 4% e segue baixa (48%).

No 6ºBoletim do ITC-19 2.0 sobre os estados e o governo federal, a OKBR traz uma análise inédita  sobre o forte quadro de opacidade sobre a situação da pandemia de Covid-19 entre a População Privada de Liberdade (PPL). O termo se refere a pessoas detidas em unidades provisórias, penitenciárias e adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. 

De acordo com o levantamento realizado na segunda quinzena de setembro, não há nenhuma informação ativamente disponibilizada e atualizada sobre casos confirmados na PPL em 32% dos entes (9 estados). O indicador sobre a Covid-19 nas unidades prisionais e socioeducativas passou a ser coletado pela OKBR em julho, a partir da segunda fase do ITC-19. Desde a inclusão do indicador, a disponibilidade dessa informação foi ampliada de 13 para 19 entes. Veja a trajetória do indicador nas seis rodadas de avaliação, no gráfico abaixo. 

COVID-19 E PPL: DETALHAMENTO DA INFORMAÇÃO DISPONÍVEL

Nesta edição, A OKBR investigou com mais detalhes a forma de disponibilização dos dados sobre PPL e o resultado é que, mesmo entre aqueles que os publicam, a informação acaba sendo bastante superficial. Todas as características avaliadas apresentam lacunas expressivas. Por exemplo, em 79% dos estados não é possível conhecer a quantidade de testes aplicados nas unidades prisionais, o que impede a avaliação da política de testagem adotada nesses locais. O gráfico abaixo traz o detalhamento de cada uma das categorias avaliadas nesta edição do Boletim especial sobre População Privada de Liberdade.

A sexta rodada de avaliações marca a estreia da nova fase de avaliações do ITC19 2.0, agora com boletins temáticos sobre a Amazônia e periodicidade quinzenal. A coleta desta edição foi feita a partir dos dados disponíveis em 29 de setembro. Confira abaixo a evolução geral da pontuação dos estados e do governo federal :

A próxima avaliação da transparência dos estados está prevista para o dia 12 de novembro. Na semana que vem, você confere a sexta avaliação do ITC-19 2.0 sobre as capitais brasileiras.

Acesse:

#6ºBoletim completo do Índice de Transparência Covid-19 2.0.

Base de dados completa com a avaliação detalhada de cada ente.

Nota metodológica com o detalhamento dos critérios de avaliação.

Mais informações no site: transparenciacovid19.ok.org.br

 

* Retificação: esta versão atualiza  a 6ª edição do Índice de Transparência da Covid-19 nos Estados, corrigindo apenas a pontuação dos estados da Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte, a partir da revisão de quesitos solicitada pelos entes e constatadas válidas pela OKBR .


Notice: Undefined variable: mesmoeixo in /var/www/ok.org.br/wp-content/themes/okbr/single-noticia.php on line 53