Advocacy e Pesquisa

Transparência da Covid-19 melhorou, mas régua ainda precisa subir

05 Maio de 2020, por OKBR

Compartilhar

Nova versão do Índice da OKBR buscará avaliar mais categorias de dados, qualificar os dados que estão sendo abertos e incluir mais entes; nível de transparência “Bom” ainda é insuficiente em um momento em que dados podem salvar vidas

Em 3 de abril, Open Knowledge Brasil (OKBR) lançou os primeiros resultados do Índice de Transparência da Covid-19 (ITC-19), para avaliar em que medida os estados e o governo federal estão divulgando dados básicos para o acompanhamento da epidemia. 

A primeira versão do Índice da OKBR teve como principal objetivo oferecer um norte para que os estados publicassem um conjunto mínimo — porém, fundamental — de dados sobre a pandemia de forma padronizada.  Com esse conjunto mínimo de requisitos, os gestores puderam se familiarizar com os processos de coleta e publicação dos dados a que têm acesso. 

Em um primeiro momento, era importante abarcar os vários meios que os gestores encontraram para fazer a informação chegar ao público pelos portais oficiais de comunicação, mesmo que os dados não estivessem plenamente estruturados. Para tanto, uma diversidade de meios de divulgação foi considerada para avaliação – releases, planilhas, boletins e informes epidemiológicos e painéis de visualização de dados. 

A resposta foi rápida e eficaz na maioria dos entes avaliados. O primeiro boletim mostrou que o país estava absolutamente no escuro com relação aos dados da Covid-19: 90% dos estados não alcançavam, àquela altura, os níveis “Bom” ou “Alto” de transparência. Após quatro semanas, com os esforços empreendidos pelos estados e ampla repercussão da imprensa, esta realidade melhorou muito: no quinto boletim, 39% continuavam nessa condição. Mas ainda há muito a ser feito e, agora que conhecemos melhor as dificuldades, podemos avançar ainda mais na abertura desses dados.

“Bom” ainda é um nível de transparência insuficiente em um momento em que dados podem salvar vidas. A comparação entre os entes e as análises mais aprofundadas somente serão possíveis se as administrações ampliarem o escopo dos dados divulgados e seguirem os padrões de dados abertos internacionalmente reconhecidos.

Desde o início do projeto, a OKBR está atenta aos comentários e sugestões recebidos de gestores, pesquisadores e jornalistas de todo o país. Para esta segunda fase do ITC-19, abrimos uma consulta para sistematizar essas contribuições e aprimorar as métricas, “subir” a régua de avaliação e estender o monitoramento às capitais.

Veja a discussão no Fórum da OKBR e envie sua sugestão.


Notice: Undefined variable: mesmoeixo in /var/www/ok.org.br/wp-content/themes/okbr/single-noticia.php on line 53